ESCUTE A BÍBLIA ENQUANTO ESTIVER OLINE

PARE,ESPERE CARREGAR E LEIA ESTE FOLHETO E PENSE

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

CONHEÇA OS MAIS IMPORTANTES SUPERALIMENTOS"


OQUE SÃO OS SUPERALIMENTOS

São alimentos superconcentrados energeticamente, dando-nos uma enorme quantidade de nutrientes de uma forma natural, equilibrada e facilmente assimilável pelo nosso organismo.

São dádivas da natureza, substâncias 100% naturais que têm uma capacidade extraordinária de transformar a nossa saúde. Estes alimentos vão muito para além da simples nutrição que outros alimentos nos dão.


Eles desempenham um papel importante na prevenção de muitas das doenças da nossa sociedade atual e são extremamente válidos como parte integrante de um estilo de vida saudável.


Listamos os mais importantes e suas incríveis e comprovadas propriedades e características.



(Abacate)

Existem duas variedades: o mais arredondado, de pele fina, macia e verde e o mais alongado, de pele mais espessa e áspera e de cor verde a arroxeada.
O abacate é altamente nutritivo, pois possui um elevado teor de matérias gordas. Fornece, também, uma dose considerável de vitaminas C, B2 e E. É ainda rico em cálcio, enxofre, fósforo, magnésio, potássio, ácido fólico e iotina.
O abacate tem 30% de gordura sem conter colesterol. O seu alto teor de ácidos graxos monoinsaturados converte-o num bálsamo para o coração e os vasos sanguíneos. Possui um alto teor de minerais e vitaminas essenciais que combatem particularmente o stress, o nervosismo e a insónia. É útil no caso de úlceras estomacais e cólicas intestinais. Actua também com eficiência em cólicas menstruais.
Nas Antilhas o abacate é considerado um afrodisíaco. O seu período de conservação é muito curto, após o amadurecimento.
PROPRIEDADES:
Segundo estudos feitos no México, maior produtor da fruta, ficou comprovado que as mulheres diabéticas que seguiram uma dieta à base de abacate, durante quatro semanas seguidas, obtiveram a redução do colesterol e da glicemia. Elas eram subordinadas à utilização da insulina.

* Contém açúcar, fitosterol, lecitina, tanino e ácido oléico, linoléico e palmítico.

* A metade de um abacate, com 110 gramas, fornece 162 calorias e mais proteína do que qualquer outra fruta – cerca de 2g e, nesta quantidade, pode substituir a carne, porque contém gordura e o mesmo valor nutritivo. Por isto, pode fazer parte de uma refeição ou de um lanche. A gordura do abacate, por ser de origem vegetal, não aumenta o colesterol.

Sugestões

1) caso sinta necessidade de adoçar, dê preferência ao mel e ao melado de cana. Não use açúcar branco. Mas, se não suportar, utilize o orgânico ou mascavo e vá diminuindo até se acostumar a não precisar adoçar.
2) Deve-se cortá-lo ao meio no sentido do comprimento. Depois, passe um pouco de limão para impedir o escurecimento da polpa, antes de guardá-lo na geladeira ou de usá-lo.
A vitamina C, contida no limão, impede a formação de radicais livres, conservando sua cor natural.

O ABACATE É RICO EM VITAMINAS

A polpa contém:
*Vitamina A, que é necessária para manter a boa visão; é anticancerígena e combate os radicais livres.
As vitaminas do complexo B facilitam o metabolismo normal dos carboidratos.
*Vitamina B1, ou tiamina, protege contra a síndrome da morte súbita, controla a diabetes e é útil no tratamento de herpes.
*Vitamina B2 (riboflavina) é essencial para a produção de energia do organismo e auxilia a formação da glutationa.
*Vitamina C aumenta a imunidade contra infecções, reduz o colesterol e combate a infertilidade, tendo também ação anticancerígena.
*Vitamina E protege contra doenças cardiovasculares, estimula o sistema imunológico, protegendo contra doenças da pele e fortalecimento das unhas. Combate os radicais livres, servindo como antioxidante. É conhecida, também, como a vitamina da beleza.

Gordura monoinsaturada

* É a mesma do azeite de Oliva, que contém ácido oléico, seu principal componente e que defende as artérias da gordura oxidante do mau colesterol – LDL – tendo efeito destruidor sobre elas.

Sais minerais

* Fósforo - junto ao cálcio - contribui para a mineralização dos neurônios, melhorando o raciocínio. Fortalece os ossos, combatendo a osteoporose.
* Ferro: indispensável na formação do sangue - combate a anemia - atuando como veiculador do oxigênio para todo o organismo.
* Magnésio: é essencial à vida, ajudando no metabolismo da glicose e nutrindo os nervos e o cérebro; atua na formação dos tecidos, ossos e dentes; ajuda a metabolizar os carboidratos; controla a excitabilidade neuromuscular. Combate a extrema sensibilidade ao frio e ao calor.
* Potássio: age associado ao sódio, regularizando as batidas do coração e o sistema muscular; contribui para a formação das células.
*Cálcio: atua na formação de tecidos, ossos e dentes; age na coagulação do sangue e na oxigenação dos tecidos; combate as infecções e mantém o equilíbrio de ferro no organismo.
* Fósforo: é indispensável para o sistema nervoso e o sistema muscular; junto com o cálcio e a vitamina D, atua na formação de ossos e dentes, combate o raquitismo, a ocorrência de fraturas; evita músculos atrofiados; alterações nervosas e contribui para a mineralização dos neurônios, melhorando o raciocínio.

Dilata os vasos sanguíneos

* Possui relevante valor energético devido às gorduras responsáveis pelo aumento do bom colesterol, - HDL. Tem efeito protetor das artérias e, por consequência, sobre a saúde cardiovascular, ao contrário do LDL - o mau colesterol.
* Possui glutationa, antiradical livre, que protege o nosso organismo de agentes cancerígenos.
* Suas substâncias ativas, testerol e lecitina, o tornam eficaz no tratamento das artroses, reumatismo e gota, eliminando as dores reumáticas, a partir da extração de um excelente azeite obtido da fruta. É anti-inflamatório.
* Auxilia na desintoxicação do fígado.
* Diabetes: para as pessoas que sofrem deste mal, é aconselhável comer a polpa durante quinze dias.
* Afrodisíaco: atribui-se à polpa do abacate uma capacidade afrodisíaca.

RECEITA CULINÁRIA

Sugestões
O abacate deve ser servido cru – pois, quando cozido, ele se torna amargo.
1) Fica delicioso, quando servido com camarões ou lagostas, também, quando se introduz camarões médios em uma das metades do fruto.
2) Pode ser cortado em cubinhos e acrescentá-lo em saladas. Fatiados, em pratos quentes: coloca-se no molho de tomate, com os condimentos a gosto, sobre peito de frango, filé de peixe grelhados, camarões ou lagostas.
3) Maionese de abacate - mais saudável do que as industrializadas ou como substitutas da manteiga e das margarinas.
Preparo: amasse a polpa, dissolva com azeite de oliva e iogurte natural desnatado. Coloque uma pitada de sal.

Como sobremesa: a polpa do abacate pode ser passada no liquidificador, para fazer um creme misturado com leite puro, com açúcar ou mel; pode também ser batido com condensado. Neste caso, não utilizar açúcar.


RESSALVA - Quem estiver fazendo dieta para emagrecer, deve fazer consumo moderado deste tipo de receita, sob orientação médica, em virtude de seu alto valor calórico.


RECEITA DE CREMES AMACIANTES

*Para face e mãos
Polpa madura, mel de abelha. Amasse, faça uma massa cremosa (1/4 da polpa, 1 colher de sopa de mel de abelha). Aplique e deixe cerca de 30 a 40 minutos. Retire com água fria. Use pelo menos duas vezes por semana.
* Para cabelos
Polpa madura e uma colher de azeite de oliva e mel. Amasse e passe no couro cabeludo e nos cabelos utilizando um pente, para espalhar o creme, mecha por mecha, até as pontas.

PROPRIEDADES DO CAROÇO

* Afrodisíaco – o caroço também pode ser utilizado como um excelente afrodisíaco: aumenta a libido.
Preparo – Depois de esmagá-lo, adicione vinho branco. Coloque em um recipiente de vidro escuro e protegido da luz e deixe a infusão, no mínimo, por 20 dias – não pode ser por menos tempo. Agite o recipiente algumas vezes, diariamente. Depois deste período, tome um cálice uma vez ao dia.

Em forma de Chá

* Elimina a diarréia, a tênia e outros vermes intestinais:
Utilize o caroço, tostado e moído bem fino até virar pó e coloque duas colheres de café em uma xícara de água morna e tome três vezes ao dia.

* Elimina a caspa

O Chá utilizado diretamente no couro cabeludo elimina a caspa, fortalece os cabelos e combate a calvície.
O caroço também pode ser consumido fresco, podendo ficar na geladeira por algum tempo, sem estragar.

PROPRIEDADE DAS FOLHAS

Uso externo
* Para tratar nevralgia, ou cefaléia (dor de cabeça) - Esquente um pouco d’água e coloque algumas folhas secas. Quando a mistura estiver morna, coloque sobre a cabeça, em forma de compressa, várias vezes ao dia, enquanto precisar.
Uso interno
A folha do abacateiro pode ser usada verde ou seca para fazer chá.
* Como Diurético: o chá é utilizado como diurético para eliminar cálculos renais
* Como antiflatulento: elimina a formação de gases intestinais;
* Fígado: ajuda a vesícula a liberar a bile, melhorando a digestão das gorduras. Se o fígado estiver saturado de gordura e tóxicos, e se você não sofre de problema com pressão arterial, tome três goles do chá de folhas secas, de hora em hora, durante todo o dia, por 15 dias.
* Diabetes: o chá de folhas secas serve especialmente aos diabéticos.
Como utilizar: tomar uma xícara de chá de folhas secas, sem açúcar, após as refeições.
* Cansaço físico: Tome duas xícaras de chá das folhas secas, com algumas gotas de limão e uma colher de mel.
* Para emagrecer: por melhorar a digestão das gorduras, tomando três xícaras ao dia, ajuda nas dietas de emagrecimento. Não se deve aumentar as dosagens.
*Emenagogos - menstruação: provoca ou restabelece a menstruação).
*Gengivas e dentes: fortalece as gengivas e dentes, é só mastigar suas folhas.
*Afecções da garganta: gargarejar com chá das folhas.

Cuidados com o consumo do chá

1) Se você tiver problemas de palpitação, utilize sempre as folhas secas. As verdes costumam provocar palpitações cardíacas.
2) As pessoas que tiverem problema com a pressão arterial devem evitar tomar grandes quantidades diárias do chá, ou seja, mais de 3 xícaras por dia. Por ser diurético, pode reduzir muito a pressão arterial.
3) O aconselhável é tomar pela manhã e no máximo até às 17 horas. Evite ingerir no início da noite, para evitar o desconforto de ter que levantar da cama pra ir ao banheiro.

AS FOLHAS MAIS O CAROÇO

*Dores de cabeça, reumáticas e contusões.
Uso tópico
A mistura da folha e do caroço picados combate dores de cabeça, reumáticas e contusões.
Preparo: 1 colher de folha picada, outra de semente ralada, 1 xícara de álcool de cereais a 60%, 1 pedra de cânfora; aplicar nas partes doloridas com chumaço de algodão. Esta infusão não deve ser bebida; é para uso tópico no local afetado, por um período de 5 dias.

PROPRIEDADES DAS CASCAS

As cascas do abacate são ricas em fitonutrientes - elementos que contêm magnésio e vitamina B6 - combatem os radicais livres; possui fibras, que auxiliam na saciedade e ajudam a acelerar o metabolismo, queimando as gorduras. Também é utilizado pra curar verminoses.
Preparo: lavar e moer bem a casca de abacate e misturar, em partes iguais, com casca de limão ralado; acrescentar mel e tomar, em jejum, uma colher das de sopa.


(Aipo : procure e consuma sempre)

Apium, é uma palavra latina que significa “abelha”, em alusão ao facto das abelhas serem muito atraídas pelo intenso aroma exalado pela planta na época da floração. A palavra graveolens significa “forte”. Entre os gregos, o aipo era considerado uma planta sagrada, sendo utilizado em muitas cerimónias fúnebres.

História: Em 1720, um vendedor de sementes e estudioso das plantas, Stephen Switzer, introduziu o aipo na Grã-Bretanha. Ele teria conseguido as sementes em Alexandria e foi o primeiro a colocar o aipo no “Livro de Verduras Comestíveis Estrangeiras”. A partir daí, o aipo espalhou-se pela Europa, sendo levado posteriormente às Américas, com o início das navegações.

Outros Nomes Populares: aipo-rábano.

Outros Idiomas: echter sellerie (alemão), céleri (francês), celery (inglês), sedano (italiano).


Descrição Botânica: o aipo é uma planta de porte herbáceo e de ciclo bianual. A raiz é fibrosa e forte. O talo é muito ramificado e estriado. As folhas são penadas. As flores têm coloração esbranquiçada e são agrupadas em inflorescências do tipo umbela. O fruto é pequeno e arredondado.


Composição Química: compostos nitrogenados, óleo essencial e oleorresinas. O óleo essencial é dominado por terpenos, especialmente o limoneno.


Partes Usadas: Folhas, Raízes, Talos.


Propriedades Medicinais: Carminativa, Digestiva, Estomáquica, Refrescante, Tónica.


Culinária: As folhas e os talos são usados em saladas frescas, maioneses e sumos. É usado para condimentar molhos de tomate, ensopados e preparados de vegetais cozidos.


Saúde: Por ter um alto teor de sódio, o aipo alivia a fadiga causada pelo trabalho e pela prática de desportos. Ajuda ainda a aliviar dores de cabeça. O sumo feito com maçã elimina o excesso de dióxido de carbono do organismo. Elimina a vontade de comer doces.


Contra-Indicações: não foram encontradas na literatura consultada.


Efeitos Colaterais: não foram encontradas na literatura consultada.


Clima: temperado.


Exposição solar: Plena.


Propagação: sementes.

Espaçamento: 90 centímetros entre linhas e 30 centímetros entre plantas.

Tipo de solo: prefere solos argilosos, com pH próximo ao neutro e com alto teor de cloreto de sódio.


Adubação e correcção: esterco curtido de animal, húmus ou matéria orgânica, incorporados a 30 centímetros de profundidade.


Necessidade de água: Plena (gosta de solos encharcados).

Colheita de Folhas, Talos e Raízes: após 4 meses do plantio.

Saudável e refrescante o aipo é actualmente muito valorizado pelas suas propriedades culinárias mas também pelas suas propriedades terapêuticas graças ao seu alto conteúdo em água biológica, vitaminas, minerais e bioflavonóides.

Considerado um dos melhores diuréticos vegetais que existem reconhece-se a sua capacidade para remineralizar o organismo, desintoxica-lo, depurar o sangue, melhorar a digestão, diminuir a pressão arterial, regular o peristaltismo intestinal, abrir o apetite e aliviar as dores articulares além de prevenir e combater o cancro.
Sem esquecer que tem propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes, expectorantes e sedantes. É um daqueles alimentos que não devem faltar na mesa

O Aipo já era usado como alimento medicinal pelos egípcios, gregos e romanos. De facto, Hipócrates usava-o no século V a.C. como diurético. Também se constatou que 10 séculos depois os médicos chineses o empregaram para tratar distintas afecções.

No entanto, não seria até á Idade Média quando na Europa cresceu o interesse pelas suas propriedades. Hoje cultiva-se em praticamente todas as regiões temperadas do mundo e cada vez mais pessoas a levam á sua mesas sabedoras das suas mais que interessantes propriedades nutricionais e terapêuticas.

UM BOM REMINERALIZANTE


Primo da salsa e do funcho o aipo pertence á família das umbelíferas. Os tratados de Botânica dizem que se trata de uma planta bienal de raiz e caules estriados comestíveis que se distinguem 15 variedades sendo a mais importante e consumida o Apium graveolens var.dulce.

Em todo o caso dois são as variedades mais cultivadas na Europa: o aipo em rama -que forma uma grossa penca com folhas cunhadas e que é a mais comum na Espanha - e o chamado aipo-rábano – um bolbo rugoso em forma de batata que apenas se consume em Espanha mas faz parte de muitos pratos dos países do norte da Europa.
A diferença entre ambas é que de a primeira consome-se o talo e as folhas e a segunda só a base do talo.
Portanto, o aipo mais fácil de encontrar nos supermercados é o de talho grosso, oco, estriado e alongado que se compõe de pencas verdes de forma cilíndrica longitudinalmente recorridas por um profundo sulco e de onde brotam folhas com aspecto parecido á salsa.

Quanto á ingestão, pode ser consumido cru sem abusar – nesse caso o sabor das suas folhas é ligeiramente amargo e muito agradável.

Além disso, para guisar pode-se utilizar inclusive as sementes pulverizadas como se fossem sal. Podem ser consumidos crus, fritos, cozidos, recheados ou liquefeito.

Quanto às suas propriedades nutricionais cabe destacar que embora o seu componente maioritário seja a água – entre 92 e 95% - esta hortaliça é generosa em vitaminas e fibras mas especialmente em minerais e compostos vegetais que além do seu odor, cor e sabor característicos, proporcionam algumas das suas propriedades terapêuticas mais interessantes.


O aipo, por exemplo, aporta uma boa dose de vitaminas B 1 (tiamina), B 2 (riboflavina), B 6 (piridoxina), B 9 (ácido fólico), betacaroteno (provitamina A), vitamina E e quantidades discretas - sem se comparar com outras hortaliças - de vitamina C.


O mesmo se aplica á fibra: o aipo contém mas outras hortaliças são mais generosas a esse respeito. No entanto, o que aporta é suficiente para que contribua para melhorar o trânsito digestivo e intestinal, prevenir a dispepsia e a obstipação, ajuda a reduzir os níveis de colesterol no sangue e favorecer o controlo da glicemia nos diabéticos.

Mas se realmente algo o destaca, é, na verdade a sua capacidade para remineralizar o organismo pois contem abundante potássio, sódio – considera-se a hortaliça que mais contribui - e doses consideráveis de cálcio, zinco, magnésio, ferro, enxofre, fósforo, manganês, cobre, alumínio e silício.

Deve-se recordar, que o equilíbrio entre potássio e sódio é imprescindível para a correcta função nervosa e muscular além de participar no sistema bioeléctrico de todas as células do corpo através do qual é conhecido “bomba de sódio-potássio”. E mais, no caso concreto do aipo diferentes estudos revelaram que o seu conteúdo em sódio satisfaz as necessidades deste mineral naquelas pessoas que mantêm dietas baixas em sal enquanto os seus altos valores em potássio tornam-se adequados para quem esteja a tomar diuréticos.

Os especialistas assinalaram também que no corpo a relação entre potássio e sódio é de 2 para 1 e no aipo existem 3 partes de potássio por cada uma de sódio e, por tanto, trata-se de uma proporção excelente para quem padece de hipertensão ou toma diuréticos sintéticos porque a diferencia de estes em relação ao aipo é que este ultimo ajuda a eliminar o excesso de líquido sem desequilibrar a relação adequada de ambos minerais.
Deve-se acrescentar que muitas das suas propriedades devem-se ao óleo essencial que contem - composto por apiol, limoneno, psoralenos e apiína assim como a sua riqueza em terpenos - entre eles os flavonóides como a apigenina e a luteolina - que são os que lhe proporcionam a sua capacidade antioxidante, anticancerígena, antibacteriano e antimicótica (sendo especialmente útil em casos de infecção das mucosas das vias urinarias).

DIURÉTICO, SIM, MAS NÃO SÓ


O aipo, em suma, aumenta a micção e dilata os vasos renais favorecendo com isso a eliminação de líquidos retidos no corpo e uma expulsão mais rápida e efectiva das substâncias tóxicas ou de resíduos.

Também contribui para eliminar os cálculos renais e biliares assim como as areias que acabam pode se formar, depura o sangue, ajuda a limpar tanto o intestino como os rins e a bexiga, a prevenir doenças que derivam da acumulação de impurezas para ajudar o trabalho do fígado (que não deve esforçar-se tanto para depurar o sangue). Razões que, sem dúvida, justificam o seu consumo como depurativo e desintoxicante além de ser eficaz em casos de hiperuricémia, gota, doenças articulares e reumatismo. Noutras palavras, o aipo é anti-hipertensivo e cardioprotector.
Obviamente o maior volume de urina que se expulsa graças ao aipo ajuda a baixar a tensão arterial mas estudos levados a cabo por William Elliot - professor de Medicina e Farmacologia na Universidade de Chicago (E.U.A.) - indicam que pode preveni-la graças a um dos seus compostos, o ftalido – substancia que lhe confere o seu peculiar aroma -, e esta substancia relaxa os músculos lisos dos vasos sanguíneos ampliando o seu diâmetro.
Ao que parece, o seu mecanismo de acção consiste em bloquear a actividade da enzima produtora das catecolaminas – consideradas as “hormonas da tensão ou do stress” - que provocam a contracção dos vasos sanguíneos elevando com isso a pressão arterial.
Ou seja, o aipo reduz a pressão ao suprimir a produção de hormonas que causam a sua elevação. Algo que o professor Elliot constatou mediante uma experiencia com animais que demonstrou que aqueles a que se alimentou com 2 talos de aipo tiveram no dia seguinte uma pressão sanguínea 14 vezes menor que aqueles a que não se deu.

Outras investigações revelaram logo que além do ftalido há outra substancia no aipo com essa mesma capacidade para dilatar os vasos sanguíneos: o flavonóide apigenina. Para concluir, recordemos que o conteúdo em fibra desta hortaliça também ajuda a reduzir os níveis de colesterol no sangue e que o aumento da diurese elimina do organismo substâncias que poderiam dar lugar a complicações cardiovasculares. O que explica a sua actividade cardioprotectora.

Está estudada também a capacidade de alguns dos componentes do aipo para prevenir e tratar o cancro. Assim, sabe-se que além dos ftalidos e dos poliacetilenos - reconhecidos antioxidantes - esta hortaliça contem outras seis famílias distintas de compostos que contribuem para eliminar do organismo diversos agentes carcinógenicos, especialmente os que contem no fumo dos cigarros.

Contém por exemplo um flavonóide – a apigenina - que além de anti-espasmódico, anti-inflamatório, antioxidante e inibidor da formação de ácido úrico parece ter também propriedades anti-cancerígenas. Esta substancia – que por certo encontra-se em grandes quantidades tanto na camomila como nos pimentos verdes - está de facto considerada “ a de maior acção anti-proliferativa no cancro da mama” num estudo realizado para comparar a incidência de 21 flavonóides diferentes sobre o crescimento de células cancerosas mamárias inoculadas em ratos. Ao que parece a apigenina une-se aos receptores de estrogénio das membranas celulares prevenindo a proliferação celular em casos de tumores hormonodependentes.


Estudos posteriores revelaram logo também a sua forte capacidade inibitória sobre as células cancerosas da glândula tiróide que carecem de receptores estrogénicos assim como que bloqueia a actividade da enzima tirosinakinasa impedindo igualmente a proliferação de células cancerosas na próstata.

De facto especialistas espanhóis da Faculdade de Medicina da Universidade de Múrcia e da Unidade de Oncologia Radioterápica da Cidade Sanitaria Virgen de Arrixaca estudaram a actividade anticancerígena da apigenina em células murinas de adenocarcinoma de próstata e de melanoma com diferentes doses e em distintos períodos de tempo observando-se a viabilidade e citotoxicidade celular, a indução de apoptose e as modificações estruturais e ultraestructurais induzidas por ela nas células cancerosas.
Os resultados obtidos demonstraram, segundo os especialistas, que sobre a línea tumoral do adenocarcinoma prostático a apigenina “produz uma inibição progressiva da proliferação celular que varia desde 30% em 24 horas até 90% em 72 horas, todos eles com uma apoptose inferior a 10%” menor que sobre o melanoma mostrava “uma inibição de 100% no crescimento celular a doses de 25 mm sendo a inibição da proliferação de 60% em 24 horas e de 35% em 48 horas respectivamente a cultivos de controlo.
Com doses menores observa-se uma inibição do desenvolvimento celular mas não são estatisticamente significativos”.
Resumindo, os especialistas concluíram que a apigenina inibe a proliferação celular em ambas líneas tumorais murinas embora de forma mais intensa no caso do melanoma.

Outras investigações revelaram posteriormente que o aipo contem outro flavonóide que não só possui muitas das propriedades da apigenina frente ao cancro mas também possui as suas próprias qualidades específicas: a luteolina. Capacidade que deve a que também inibe a enzima tirosinakinasa.

Foi constatado que possui uma potente actividade anti-proliferativa sobre 27 líneas de células cancerosas e diminui a toxicidade da quimioterapia no coração e na medula espinal. Também inibe a enzima aromatase e previne a formação excessiva de estrogénio evitando a ligação de estas com células cancerosas da mama. Tem propriedades anti-inflamatórias.

Diversos estudos revelaram que os flavonóides do aipo – compostos com acção antioxidante, anti-inflamatória, hipo-uricemiante e Inmunoestimulante como já havia sido indicado - ajudam na renovação das articulações e do tecido conjuntivo pelo que se considera de grande ajuda em casos de artrose e artrite reumatóide, reumatismo e gota em que também alivia a dor. Mas a maior esperança actual é que em Maio de 2008 – descobriu-se que a luteolina reduz a inflamação cerebral - pelo menos em ratos - e poderia ser útil no tratamento de pessoas afectadas por Alzheimer. Tal é a conclusão a que chegou um grupo de investigadores encabeçado pelo doutor Saebyeol Jang da Universidade de Illinois (E.U.A.) após administrar a ratos durante três semanas a substancia e comprovar como o iban reduzindo de forma considerável as inflamações cerebrais que previamente lhes haviam induzido.


Segundo o que se publica no Proceedings of the National Academy of Sciences os investigadores estudaram especificamente a forma em que actua a luteolina sobre as microglías, células que se originam na medula, chegam ao sistema nervoso através do sangue e o defendem devorando os agentes patogénicos que o atacam.

Ou seja, as microglías são as células responsáveis pela defensa imunitária do sistema nervoso central e do cérebro. Durante 21 dias os investigadores administraram aos ratos, agua com luteolina e logo lhes injectaram um lipossacárido de uma bactéria patogénica que põe em marcha nos ratos o mecanismo defensivo da inflamação.
Resultado: “A luteolina – pode ler-se no relatório publicado - reduz a inflamação induzida pelo lipossacárido dentro das quatro horas posteriores à injecção”. Os mecanismos de acção ainda estão a ser estudados mas pensa-se que o que a luteolina faz é deter a produção de moléculas inflamatórias e abrandar esta a nível cerebral pelo que poderia “ajudar a contrariar a demência causada pela inflamação no cérebro em enfermidades como o Alzheimer ou a variante humana deste, a doença das vacas locas”.

Ajuda a relaxar


O aipo também tem propriedades sedantes e tranquilizantes graças à sua riqueza em vitaminas do grupo B e daí a sua capacidade para aliviar notavelmente as moléstias ocasionadas por Contracturas, cãibras e cefaleias tencionais.

Embora estas propriedades relaxantes também se devam em parte ao flavonóide apigenina já mencionado que tem efeitos ansiolíticos mas sem chegar a provocar relaxação muscular nem sedação excessiva. Este flavonóide é capaz de unir-se aos receptores GABA-A cerebrais acalmando a ansiedade como fazem as benzodiacepinas -componentes principais de um bom número de ansiolíticos sintéticos - mas sem provocar a depressão do sistema nervoso central que provocam esses fármacos.

Facilita a digestão


Além de aumentar a produção de saliva e sucos gástricos, o aipo abre o apetite e facilita a digestão enquanto aumenta os movimentos naturais do intestino prevenindo gases e cólicas, além de neutralizar o excesso de bactérias responsáveis pelas fermentações e putrefacções intestinais. Assim actua como um laxante suave graças à sua fibra. No entanto, deve-se ter em conta, que consumido cru em grandes quantidades pode ser indigesto.

E se isso não bastasse aipo também:

Reforça o sistema imunitário devido ao seu conteúdo em substâncias antioxidantes.

Melhora a acne ao favorecer a depuração do sangue e ter propriedades antibacterianas.
Faz aumentar o desejo sexual - propriedade afrodisíaca conferida pela cumarina que contem - e facilita a erecção.
Ajuda a limpar feridas e queimaduras facilitando a sua cicatrização quando usado de forma tópica. Devido às suas propriedades antibacterianas e anti-inflamatórias pode-se empregá-lo para fazer bochechos em caso de infecção ou inflamações.
Também tem propriedades benéficas para a pele, para os pêlos e os ossos devido às furanocumarinas e psoralenos que contem e que actuam como protectores da pele e estimulantes da repigmentação. Por isso está-se a utilizar hoje em dia o aipo em casos de psoríase e Vitíligo assim como em outros problemas da pele ou que se manifestam nela como a acne.
Favorece a expectoração em caso de catarro, gripe, bronquite, etc.
Ajuda a perder peso pois favorece a expulsão dos líquidos retidos e das substâncias de resíduos acumuladas. Devido à sua riqueza em minerais ajuda a quem sofre de fatiga crónica.
Ajuda a regular os períodos menstruais.
Usado como cataplasma reduz o inchaço dos olhos.

Resumindo, o aipo é uma excelente aposta natural para prevenir numerosas doenças e manter a saúde.

A melhor época para comprar aipo fresco é no inverno, embora hoje se encontre em qualquer estação do ano.
Não deve ser tomado muitas vezes ou em número significativo pois pode causar graves danos nos rins ou inflamação da bexiga. E, evidentemente, não deve ser ingerido durante a gravidez devido ao seu conteúdo em apiína que pode causar aborto.
Enquanto a sua conservação ideal é mantê-lo no frigorífico envolto em papel húmido (três dias como máximo pois logo perde propriedades) também pode congela-lo após escaldá-lo previamente durante três minutos.

Propriedades


Afrodisíaco

Analgésico
Anti-bacteriano
Anticancerígeno
Depurativo e Diurético
Regulador intestinal
Anti-inflamatório
Cicatrizante (uso externo
Remineralizante
Antimicótico
Expectorante
Sedativo
Antioxidante
Hipotensor
Tranquilizante
Anti-séptico (uso tópico)
Inmunoestimulante
Vasodilatador.
Cardioprotecto
Laxante
Purificador do sangue

Indicações


Acne

Gota
Hipercolesterolémia
Artrite reumatóide
Constipação
Dispepsia
Artrose e Reumatismo
Gripe
Cistite
Bronquite
Fadiga
Hipertensão
Cancro
Hiperuricémia
Impotência sexual
Inapetência
Oligúria
Problemas cardiovasculares
Psoríase
Retenção de líquidos
Vitíligo

CARACTERÍSTICAS


Também conhecido como salsão, o aipo é uma planta bastante aromática.

É de cor verde e composto de talos e folhas.
É um alimento que pode ser consumido por inteiro, desde as folhas até a raiz.
Na culinária brasileira, é geralmente utilizado no preparo de sopas, saladas e como condimento.
Possui forma semelhante à salsa, porém, com tamanho bastante superior.
Apresenta baixa quantidade de calorias (21 kcal por 100 gramas).
O aipo é rico em potássio, importante mineral para o funcionamento do organismo.
Costuma ser consumido cru, ralado ou cortado em rodelas.
Entre os meses de julho a novembro ocorre a sua safra.
É uma boa fonte de vitamina A e cálcio.
 Esta verdura da família da umbelíferas, consumida desde a Antiguidade por gregos e romanos, é uma excelente pedida para quem faz regime. Rico em celulose, o salsão ou aipo favorece a secreção dos sucos gástricos, auxiliando a digestão e mantendo os intestinos em ordem. Suas fibras são substâncias importantes para o bom funcionamento do intestino e ajuda no controle da taxa de colesterol do sangue. Pela pouca quantidade de calorias, é recomendado para dietas de emagrecimento. O salsão possui, também, propriedades medicinais. Age como anti-oxidante, evitando a destruição de células, e é usado como um alimento digestivo, refrescante. O salsão contém quantidades pequenas de vitamina C, cálcio, potássio, ferro, fósforo e magnésio. Pode-se consumi-lo à vontade, cru ou cozido, em sopas, molhos, saldas e até em sucos. Nesta página você encontrará várias receitas de salsão.
 
PROPRIEDADES

O aipo é alimento diurético, e ajuda a eliminar o acúmulo anormal de líquido e sódio no corpo, pelo qual também ajuda a eliminar o inchaço. O aipo também ajuda a diminuir o colesterol, pois ele ativa o sistema circulatório, normaliza o sistema linfático diminuindo a pressão arterial.

 
É antioxidante,
Depurativo do sangue,
Elimina metais pesados do sangue
Digestivo,
Estimulante,
Expectorante,
Tônica,
Auxilia na digestão,
Combate o ácido úrico,
a bronquite asmática,
o cálculo biliar,
catarro,
a laringite,
Cura anemia por falta de ferro,
disenteria,
diurese,
Previne o escorbuto,
reumatismo.

O Aipo contém apenas 16 calorias por 100 gramas e com benefícios de saúde numerosos devido aos seus fito-nutrientes, tais como flavonóides, ácido fólico, vitamina A, vitamina K, sais minerais e vitaminas.

Vegetal riquíssimo um dos maiores e mais completos superalimentos disponíveis !
Consuma sempre !

                              
(Abóbora)

É um fruto originário da América do Sul que oferece muitas variedades, todas muito nutritivas e de sabor agradável. Algumas das espécies e subespécies mais cultivadas em Portugal são a abóbora cabaça, a abóbora carneira, a abóbora chila, a abóbora menina e a abóbora porqueira.
Contém sais minerais (fósforo, cálcio, potássio), e vitaminas A, B1, B2, B6 e C. É muito digerível e contribui para o bom funcionamento do intestino. Ajuda a manter o PH do organismo, combate a prisão de ventre e alivia o desconforto causado pelas hemorróidas.
As suas sementes cruas são vermífugas, ou seja combatem a ténia e outros parasitas intestinais.
É servida em pedaços nas saladas, sopas e cremes e utilizada também em doces.

Aqui está um segredo para se fazer uma terapia de limpeza no sangue, pele, cabelos e rins:


Semanalmente, por 4 semanas, compre, na feira ou em supermercado, pedaços de abóbora. Não deve ser a abóbora moranga e sim a abóbora grande, que costuma ser usada para fazer doce. Diariamente, tire 100 gramas da casca da abóbora, coloque os pedaços DA CASCA no liquidificador, junto com água (SÓ ÁGUA!), e bata bem, fazendo uma vitamina de abóbora com água.


Tome essa vitamina em jejum, quinze a vinte minutos antes do desjejum (café da manhã). Faça isso durante um mês, toda vez que o seu sangue precisar ser corrigido. Poderá controlar o resultado, fazendo uma análise antes e outra depois do tratamento com a abóbora. De acordo com o médico, não há qualquer contra-indicação, por tratar-se apenas de um vegetal natural e água (não se usa açucar!).


Na casca da abóbora está presente um solvente do colesterol de baixo peso molecular, o colesterol mais nocivo e perigoso.


Durante a primeira semana, a urina apresenta grande quantidade de colesterol LDL (de baixo peso molecular), o que se traduz em limpeza das artérias, inclusive as cerebrais, incrementando, assim, a memória da pessoa.


Há apenas um inconveniente: o sabor da abóbora crua não é muito agradável! Nada mais. Se for o seu caso, experimente e constatará o resultado.


Porém, há um detalhe importante: nem a abóbora, nem a água poderão ir para a geladeira, porque a refrigeração destrói os ingredientes ativos da vitamina. Esta é a razão de ter que comprar, semanalmente, a abóbora, pois, fora da geladeira, ela se estraga rapidamente.


SEMENTES


O uso da semente de abóbora popularizou-se como vermífugo infantil e como fonte de zinco. Hoje, sabe-se que as propriedades terapêuticas dessa parte, normalmente ignorada dos vegetais, no caso da abóbora, apresentam valores curativos mais amplos. A sementinha branca consumida torrada e salgada é riquíssima em potássio, cujo efeito no controle da pressão arterial já está bem estabelecido. Entre os nutrientes que contém, destaca-se também a vitamina A, potente preventivo de doenças do aparelho ocular. Finalmente, há forte concentração de vitamina E, o que garante a cota de proteção contra os efeitos do envelhecimento, além de ajudar a combater doenças cardiovasculares.


O alimento revelado em detalhes


Campeã em fibras !

E essa é só uma razão para não desperdiçar a semente de abóbora. Torrada e crua ou na forma de farinha, ela facilita o trânsito intestinal e previne de pressão alta a doenças oculares

A MELHOR FONTE


Pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) concluíram que a semente da abóbora é um dos alimentos mais ricos em fibras entre todos já pesquisados até agora no Brasil. "Encontramos cerca de 23% de fibra nessa semente. Observamos, assim, que a farinha de semente de abóbora tem um teor maior do que o feijão, a lentilha, e o próprio pão integral", garante a nutricionista Cristina Freitas, da UFRJ.


FARINHA PROTETORA


A semente torrada é batida no liquidificador e peneirada até virar um pó bem fino. O grupo da UFRJ observou que essa farinha ajuda a prevenir e combater doenças do intestino, promovendo uma verdadeira limpeza, que resulta na eliminação de substâncias tóxicas. Depois, é só incorporá-la à prática culinária no lugar da farinha tradicional e com muito mais saúde.



(Acerola)

A acerola ou cereja das Antilhas é considerada a fruta mais rica em vitamina C. Em 100g de polpa há de 2000 a 5000mg de ácido ascórbico, que é a própria fonte de vitamina C. Para se ter uma ideia do que estas quantidades representam, o limão, por exemplo, apresenta um teor de ácido ascórbico de 40 a 50mg.
Apresenta na sua composição proteínas, cálcio, fósforo, ferro, vitaminas B1 e B2, pró-vitamina A, além, é claro, da enorme quantidade de vitamina C.
Uma pessoa comendo uma certa quantidade de acerolas por dia, tem satisfeitas, praticamente, todas as suas necessidades vitamínicas. Uma acerola é uma verdadeira cápsula natural de vitaminas. Pela sua excepcional qualidade nutritiva e vitamínica, aumenta a resistência geral do organismo, prevenindo contra doenças como a gripe.
É uma fruta pequena, de cor vermelha, parecida com a cereja europeia. O seu sabor é levemente adocicado, com um contraste de acidez. Pode ser comida ao natural ou serve para fazer geléias, doces em calda, doces em pasta, licores, etc.

É uma fruta que bem poderia ser nativa do Brasil, tem tudo a ver com as nossas nativas; se parece com a pitanga, embora lembre a cereja européia. Propagou-se logo de sua chegada ao Brasil. Hoje se tornou popular no mercado de polpas, deixando para traz outras frutas nativas brasileiras, comercialmente. Seu cultivo é comum e fácil, de produção satisfatória à partir do terceiro ano de seu plantio. É uma planta rústica, resistente e tem se propagado com facilidade em várias partes do mundo.


O interesse pela acerola teve início nos anos 40, quando descobriu-se suas propriedades medicinais, principalmente o alto teor de vitamina C, o ácido ascórbico. A partir daí ela foi empregada no tratamento da gripe, afecções pulmonares, controle de hemorragias nasais e gengivais, auxiliando também no tratamento de doenças do fígado, aliviar dores musculares e nas articulações, é bom para a irritabilidade, fadiga, perda de apetite, cicatrizante...


De modo geral, fortalece o organismo como um todo e é eficiente no tratamento de anemia. É indicado na dieta de lactantes e gestantes, crianças e adolescentes , desnutridos e convalescentes físicos. Ufa!!! essa é uma fruta curandeira mesmo! Veja mais...


Ácido ascórbico, proteínas, pró-vitamina A, sucrose, ácido I-málico, ácido pantotênico, carboidratos, betacaroteno, dextrose, niacina, proteína, riboflavina, sais minerais (cálcio, ferro, fósforo, magnésio, potássio, sódio, tiamina e vitamina B6. Seu conteúdo em ácido ascórbico (vitamina C) é mais elevado do que em frutas como laranja, limão, abacaxi, araçá, kiwi e morango e menor que o camu-camu.


Em sua biografia consta ainda mais: é adstringente, antianêmica, antiescorbútica, antiinflamatória, aperiente, cicatrizante e nutritiva.


Sua polpa é carnuda, às vezes amarela ou vermelha. Sua floração é de furta-cor, baseada nas cores rosa, lilás e branca, em forma de mini-rosinhas. O néctar das flores é um bom material de trabalho para abelhas na fabricação de mel, os pássaros, também, são outros bons parceiros.


CURIOSIDADES SOBRE A ACEROLA


. A Alemanha consome, anualmente, 40 litros per capita de sucos de acerola.

. É possível intercalar plantações de uvas com pés de acerolas.
. No Pará, na Bahia, em Pernambuco e São Paulo, já existem muitas plantações de acerola, intencionalmente, visando o mercado externo.
. A fruta era guardada a "chaves" em Porto Rico, até ser trazida às escondidas para o Brasil, em 1956, por uma professora da Universidade Federal Rural de Pernambuco.
. A acerola é uma fruta que se encaixa perfeitamente na tendência mundial de consumir o que é natural e saudável.
. A descoberta das potencialidades medicinais da polpa da fruta mostrou que concentra aproximadamente 100 vezes mais vitamina C do que a laranja e o limão, 20 vezes mais que a goiaba e 10 vezes mais que o caju e a amora.
. Os pesquisadores confirmam: 4 unidades desta fruta por dia são o bastante para suprir as necessidades de vitamina C de um adulto saudável.
. Já se encontram à venda comprimidos de acerola

A ACEROLA POR DENTRO


Constituintes químicos da Acerola : ácido ascórbico (2-4%); ácido l-málico; ácido pantotênico; betacaroteno; carboidratos; caroteno; dextrose; frutose; hesperidina e outros bioflavonóides); limoneno; mucilagem; niacina; proteínas 4 g%, pró-vitamina A; riboflavina; rutina, sais minerais (ferro, cálcio 12 mg %, flúor 11 mg%, fósforo, magnésio, potássio, sódio); sucrose; tiamina; vitamina B6; Vitamina C (1-5 g/100 ml).


Propriedades medicinais da Acerola : adstringente, antianêmica, antidiarréica, antiescorbútico, antifungal, antiinflamatória, aperiente, cicatrizante, mineralizante, nutritiva, vitaminizante.


Indicações da Acerola : afecções da vesícula biliar, afecções do fígado; afecções pulmonares, anemia; auxiliar em tratamentos do fígado ou disenterias; carência de vitamina C, cicatrização de feridas; diabetes, dieta de lactentes, crianças e adolescentes, de gestantes e nutrizes e de pacientes desnutridos, convalescentes e em processo de desgaste físico; diminuir a ocorrência de doenças infecciosas e de dores musculares e articulares; disenteria; estomatite, fadiga, gravidez, gripes, hemorragias nasais e gengivais; hepatite virótica, infecção bucal, irritabilidade, melhorar o sistema imunológico; perda de apetite; poliomielite, Prevenir debilidade, resfriado, reumatismo, stress, tuberculose pulmonar, varicela. Como fitocosmético: hidratante capilar e condicionador capilar, protetor contra infecções. Pesquisas indicam o ácido escorbútikco contra o envelhecimento celular graças à sua ação antioxidante e seqüestrante de radicais livres. Os sais minerais da acerola lhe oferecem a propriedade remineralizante em peles cansadas e estressadas. As mucilagens e proteínas são responsáveis pelas ações de hidratação e condicionamento capilar.


(Referências bibliográficas :

Revistas: Revista Globo Rural, Manchete Rural, Agropecuária Estado de Minas, Natureza Frutífera / / Livros: Fruticultura Brasileira - Pimentel Gomes. Emater/MG)


(Açai)

O açaizeiro é uma palmeira característica das várzeas e margens dos rios amazónicos. A fruta é muito pequena, arredondada e muito roxa, quase preta. Tem um caroço grande, e muito pouca polpa.

O açaí é muito rico em antocianina, uma substância anti-oxidante, que ajuda no combate ao colesterol e dos radicais livres.

Além de ser considerado um dos alimentos mais ricos em ferro, o açaí é também rico em fibras, sendo bastante indicado para idosos e pessoas com mau funcionamento do aparelho digestivo.

O mais recente resultado da pesquisa traz nova boa notícia aos consumidores do fruto da palmeira Euterpe oleracea. Em artigo publicado no Journal of Agricultural and Food Chemistry, os cientistas descrevem que os antioxidantes contidos no açaí são absorvidos pelo organismo humano.


O estudo envolveu 12 voluntários, que consumiram açaí em polpa e na forma de suco, esta última contendo metade da concentração de antocianinas - pigmentos que dão cor às frutas - do que a versão em polpa. Os dois alimentos foram comparados com sucos sem propriedades antioxidantes, usados como controle.


Amostras do sangue e da urina dos participantes foram tomadas 12 e 24 horas após o consumo e analisadas. Segundo os pesquisadores, tanto a polpa como o suco apresentaram absorção significativa de antioxidantes no sangue após terem sido consumidos.


Vantagens do açaí


"O açaí tem baixo teor de açúcar e seu sabor é descrito como uma mistura de vinho tinto e chocolate. Ou seja, o que mais podemos querer de uma fruta?", disse Susanne Talcott, principal autora do estudo, do qual também participaram cientistas das universidades do Tennessee e da Flórida.


Segundo ela, trabalhos futuros poderão ajudar a determinar se o consumo do açaí pode resultar em benefícios para a saúde com relação à prevenção de doenças para que possa ser possível fazer recomendações seguras sobre as quantidades adequadas a serem consumidas. O grupo do qual faz parte tem estudado a ação do açaí contra células cancerosas.



(Ameixa)

Contem 0,6% de proteínas, 14% de açúcares e 0,7% de sais minerais, entre os quais se destacam o ferro e o cálcio. Também é rica em vitaminas A, B1, B2 e C.
A sua quantidade em açúcares e ácidos alcalinizantes tornam-na num alimento muito energético, grande laxante e desintoxicante. É indicada para tratar a constipação, as congestões hepáticas e o reumatismo.
As suas diferentes variedades distinguem-se pelo tamanho, cor e sabor. Quando seca aumenta a capacidade energética, porque passa a conter 50% de açúcares.

USO MEDICINAL


Graças ao seu conteúdo em fibra (especialmente pectina), carboidratos, magnésio, sódio e potássio, a ameixa é laxativa, recomendando-se contra a prisão de ventre obstinada.


Médicos afirmam que a ameixa fresca é um magnífico agente terapêutico contra as enfermidades causadas pelos ácidos e associadas às hiperlipidemias, principalmente pelo ácido úrico, tais como o reumatismo, a artrite, a gota; a arteriosclerose, a nefrite etc; ácidos e/ou gorduras originados por uma alimentação excessiva, à base de proteínas, gorduras saturadas e colesterol.


A ameixa fresca é indicada contra as hemorróidas e a hipocondria.


Diurética como é, recomenda-se contra as afecções de caráter inflamatório das vias urinarias.


É, ainda, "desobstruente" do fígado, "depurativa" do sangue e "desintoxicante" do aparelho digestivo, pelo que se emprega com êxito nas afecções febris do estômago e do intestino.


No tratamento das afecções das vias respiratórias (anginas, catarros etc.)


Valor Alimentício


A ameixa, consumida ao natural, fresca, seca ou demolhada, é um alimento saboroso e saudável. É também muito apreciada em compotas, geléias, sopas, purês, ou em mistura com figos secos, passas de uvas ou nozes raladas. Por suas propriedades laxativas, convém aos intestinos preguiçosos. Mesmo crianças pequenas podem beneficiar-se da "água da ameixa" em caso de prisão de ventre.


A ameixa, conforme a variedade, apresenta algumas diferenças de valor nutricional. Por exemplo, a ameixa-vermelha é rica em provitamina A, ao passo que as outras variedades são relativamente pobres. A ameixa-amarela é, por sua vez, mais doce e energética, além de conter um pouco mais de proteína. A ameixa-preta apresenta elevada atividade aquosa, sendo a mais apropriada para o tratamento das afecções urinárias.


É rica em açúcar, sais minerais e algumas vitaminas. É um ótimo alimento, pois funciona como laxante natural.


A ameixa é recomendada contra a prisão de ventre por seu alto poder laxativo. Consumida em excesso, pode irritar os rins. É rica em vitaminas do Complexo B, que evitam problemas de pele e reumatismo. Além disso são essenciais ao crescimento e fortalecem o cabelo, evitando sua queda.


Por causa de sua alta taxa de Fósforo, a ameixa é indicada em casos de fraqueza geral, principalmente quando há debilidade cerebral.


A ameixa seca, e portanto concentrada, é indicada para pessoas que desenvolvem trabalhos musculares, porque é altamente energética, fornecendo grande quantidade de calorias. E a fruta fresca é ideal no combate a hemorróidas.


Para combater a prisão de ventre, coloca-se ameixas secas de molho em um copo de água à noite. Logo na manhã seguinte tanto as ameixas como essa água devem ser ingeridas em jejum. Esse tratamento deve ser repetido por vários dias.


Seu período de safra vai de dezembro a fevereiro.

A ameixa fresca fornece, em cada 100 gramas, 47 calorias, conservando-se na geladeira por uma semana.
A ameixa é um alimento nutritivo de baixo valor calórico, seja quando ingerida em saladas de frutas, assados, compotas, pudins ou pratos de carne.
A ameixa fresca tem em média somente 36 calorias e é uma boa fonte fibras importantes para a dieta.

Fornece, além disso, boas quantidades de diversos nutrientes, entre eles vitamina C e potássio. As ameixas frescas não amadurecem depois de colhidas. Antes de comprá-las verifique o brilho da casca e se a fruta está levemente macia. A cor, varia muito de uma variedade para a outra e pode não ser um bom indicador de amadurecimento.



(Amêndoa)

Contem 21% de proteínas, 53% de lípidos, 17% de hidratos de carbono, e 3% de sais minerais. Os ácidos gordos insaturados e a vitamina E contribuem para reduzir o nível de colesterol.
É um dos alimentos mais potentes da natureza, gerador de calor pela grande quantidade de gorduras que contem, e gerador de energia muscular pela sua riqueza em hidratos de carbono.
Também rica em fósforo, o que é muito útil para quem realiza um trabalho intelectual de trabalho e para as pessoas doentes do sistema nervoso, contém também potássio, magnésio, cálcio e vitaminas B1 e B2. A proteína da amêndoa é bastante completa, porque possui a maioria dos aminoácidos necessários para a vida.
Deve ser mastigada o máximo possível de forma a que cumpram todo o seu papel nutritivo. Durante a gravidez e lactação o seu consumo favorece a produção de leite.

COMPOSIÇÃO QUÍMICA


Calorias, água, hidratos de carbono, proteínas, gorduras, sais,vitamina A,B1,B2,B5,C,fósforo, cálcio,enxofre,cloro,sódio, magnésio, ferro.


USO MEDICINAL


Em primeiro lugar, apregoamos o valor do leite de amêndoa (um tipo de refresco ou orchata).


Essa orchata é muito benéfica contra a acidez ou úlcera gástrica, caso em quem se toma pura, adoçada com um pouco de mel, ou em mistura com suco de couve, de repolho, ou de algumas outras hortaliças.

Por ser muito desinflamante, é que a orchata de amêndoa se recomenda nas afecções gastro-intestinais de caráter inflamatório.
É também indicada na diarréia das crianças, na bronquite, na pneumonia, nas inflamações das vias urinárias, nos cálculos renais e vesicais, nas tosses.

Usa-se de igual modo como refrescante, diurético e antiespasmódico.


A amêndoa é um valioso alimento nos casos de anemia, e, moída ou triturada, com adição de suco de laranja ou limão, traz bons resultados contra as afecções das vias respiratórias e contra a diabete.


Para combater e leucorréia, tomam-se umas 10 amêndoas, moem-se e dissolvem-se em água fervida. Adiciona-se uma colherada de bálsamo-de-copaíba e o suco de limão. Mexe-se bem e toma-se em jejum, cada segundo dia.


Externamente, se aplica a amêndoa moída em cataplasma: na região da cintura, nos casos de dores nos rins, sobre o peito para acalmar dores e palpitações do coração, sobre a parte dolorida, no rosto, para combater a nevralgia facial.


Para tirar manchas dos rosto, moem-se e misturam-se partes iguais de amêndoas e milho branco. Com a pasta que assim se forma, fricciona-se diariamente a face.


A pasta de amêndoa triturada dá também bons resultados contra o eczema e as irritações cutâneas de modo geral.

O azeite extraído das amêndoas encerra propriedades lactígenas, esurinas, refrescantes, tônicas, laxantes e emolientes.

Usa-se nos casos de inflamações gastro-intestinais, ardor do estômago, bronquite, tosse, catarro das vias respiratórias, asma, inflamações da vias urinárias.


Externamente o azeite de amêndoas é bom, em aplicações tópicas. contra: hemorróidas (aplica-se quente), inchações dolorosas, dores reumáticas. dores de ouvido(tapa-se com um pouco de algodão), frieiras, gretaduras, manchas do rosto, etc.


(Amendoim)

Contem 40% de lípidos, 30% de proteínas, 16% de hidratos de carbono, celulose, sais minerais (fósforo, cálcio e ferro) e vitaminas A e B1. Tem um grande poder nutritivo e é de fácil digestão se mastigado correctamente, convém, no entanto, não abusar da quantidade.
O amendoim também tem propriedades terapêuticas pois pode ser usado para problemas pulmonares e julga-se que, quando cru e sem sal, estanca as hemorragias.
Fornece também um precioso óleo muito aplicado na alimentação
Muita gente acha que por ser calórico ele engorda, mas o amendoim provou ser eficaz em dietas de emagrecimento, além de uma importante fonte de proteínas e fortalecedor do sistema imunológico.

Origem - O amendoim surgiu no Brasil e foi difundido na América Latina pelos índios. Recentemente, pesquisadores encontraram vasos de cerâmica, com cerca de 3.500 anos de idade, na região próxima aos rios Paraná e Paraguai, os vasos tinham formato semelhante ao da casca do amendoim e eram decorados com a semente.


Os Incas usavam o amendoim em cerimônias de sacrifício e enterravam porções do alimento com as múmias, para que os espíritos tivessem o que comer na outra vida. Os índios brasileiros faziam uma bebida cerimonial a partir da mistura amendoim e milho.


Por volta dos séculos XVIII e XIX, ele viajou na bagagem dos colonizadores portugueses e espanhóis e começou a ser introduzido na Europa. Os portugueses ainda o levaram para a África, e os espanhóis para as Filipinas. Também durante essa época, os escravos que eram levados para os Estados Unidos ajudaram a popularizar o amendoim no continente norte-americano.


Hoje o amendoim é a quarta oleaginosa mais consumida no mundo e em 2002 o Brasil produziu cerca de 190 mil toneladas, 80% no estado de São Paulo.


PROPRIEDADES NUTRICIONAIS


A semente do amendoim é rica em nutrientes como: proteínas, zinco, ácidos graxos poliinsaturados e vitamina E.


Masaharu Nagato, engenheiro de alimentos da organização Pró Amendoim - criada para manter o controle de qualidade sobre o produto comercializado no Brasil - explica que uma das propriedades nutricionais mais populares do amendoim é o seu alto teor protéico (em 100 g encontram-se cerca de 26,5 g de proteínas).


Segundo a nutricionista e consultora do Prema Yoga e Restaurante Natural, Camila Latorre, as proteínas são responsáveis pela formação de toda nossa estrutura corpórea (pele, cabelos, ossos, músculos e líquidos). Camila ainda faz questão de ressaltar a importância do amendoim nas dietas que não incluem proteína de fonte animal: "O amendoim é muito importante para o vegetariano, principalmente para o vegano, pois representa ótima fonte de proteína em pouca quantidade e a um custo bem baixo. Ele também é um alimento energético".


Além de ser uma ótima fonte de proteínas, o amendoim é rico em ácido fólico, uma das vitaminas essenciais ao homem. A ingestão de 30 g diárias de amendoim fornece 10% da ingestão diária recomendada. Nagato esclarece a importância de se consumir a quantidade correta de ácido fólico diariamente: "O ácido fólico, ou folato, contribui para a renovação celular, inclusive em períodos como a gravidez."


PROPRIEDADES MEDICINAIS


Camila lembra que o amendoim é um alimento que ajuda a combater doenças do coração: "Ele é rico em ácidos graxos poliinsaturados que protegem contra doenças cardiovasculares pois diminuem os níveis sanguíneos de colesterol ruim (LDL) e triglicérides."


Nagato também defende que os benefícios do uso do óleo de amendoim são semelhantes aos do óleo de oliva, com a vantagem de que é mais barato: "Há 40 anos, o único óleo vegetal consumido no Brasil era o de amendoim, mas a qualidade caiu e ele foi substituído pelo óleo de soja. Agora melhoramos o padrão de qualidade e queremos que as pessoas voltem a consumir óleo de amendoim, ele pode ajudar a reduzir índices de colesterol."


Apesar de calórico (100 g de amendoim torrado com sal contêm cerca de 595 calorias), o amendoim pode ser consumido por quem está pensando em eliminar alguns quilinhos: "Encomendamos uma pesquisa para a APAN (Associação Paulista de Nutrição) e eles descobriram que o amendoim auxilia no emagrecimento. Isso acontece porque uma pequena quantidade de amendoim leva à saciedade, e isso reduz a quantidade de qualquer alimento que venha a ser consumido posteriormente", diz Nagato.


Camila Latorre concorda com a afirmação e explica: "O amendoim é rico em vitamina E, um poderoso antioxidante também reconhecido como inibidor de apetite, pois, após a ingestão de uma pequena porção, os níveis de saciedade elevam-se e se mantém por até duas horas."


Uma pesquisa realizada por cientistas da Universidade de Linkoeping, na Suécia, comprovou que o amendoim possui um aminoácido capaz de ajudar a fortalecer o sistema imunológico e combater os sintomas da tuberculose. O aminoácido se chama arginina e estimula a produção de óxido nítrico, elemento que ajuda na construção das defesas naturais do corpo. Os testes da pesquisa foram feitos na Etiópia, com um grupo de 120 tuberculosos. Aqueles que receberam cápsulas de arginina isolada responderam mais rapidamente ao tratamento e reduziram sintomas como tosse e febre.


A nutricionista Camila ainda ensina que o amendoim pode ser consumido de diversas maneiras: torrado e temperado junto com outros alimentos como risotos, com legumes, ou em forma de derivados como óleo, farinha, pastas para o café da manhã, sobremesas e bolos. Ele deve ser consumido como parte dos 15% de proteínas da dieta diária de um indivíduo adulto. O que corresponde a aproximadamente 30 g ou 32 unidades.


Dicas - Na hora de comprar amendoim, ou seus derivados, preste atenção se a embalagem do produto tem o selo de qualidade da ABICAB - Associação Brasileira da Indústria de Chocolate, Cacau, Amendoim e Balas. Esse selo atesta que o produto passou pelo controle de qualidade e está livre de uma substância tóxica ao homem e animais chamada aflatoxina, considerada cancerígena.


Quem faz o controle de qualidade para a ABICAB é uma associação chamada Pró Amendoim. Periodicamente a Pró Amendoim recolhe amostras de produtos comercializados para testes em laboratório
s.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"Todo aquele que ler estas postagens, se tiver certeza do que afirmo, caminhe lado a lado comigo; quando duvidar, investigue comigo; quando reconhecer que foi seu o erro, venha ter comigo; se o erro for meu, chame minha atenção. Assim haveremos de palmilhar juntos o caminho do conhecimento e da caridade em direção àquele de quem está dito:Eu sou o Alfa e o Ômega."

POSTAGENS MAIS VISITADAS

INVISTA MAIS NA SUA SALVAÇÃO

INVISTA MAIS NA SUA SALVAÇÃO

ULTIMA ORDEM DE JESUS IDE I FAZEI DISCÍPULOS

ULTIMA ORDEM DE JESUS IDE I FAZEI DISCÍPULOS
OU VOCE É SÓ UM FREQUENTADOR DE IGREJA?

OS BRASILEIROS NÃO APRENDEM

OS BRASILEIROS NÃO APRENDEM

DURMA NO MÍNIMO 8 HORAS POR NOITE

DURMA NO MÍNIMO 8 HORAS POR NOITE

FRUTA NÃO É CARO, CARO É REMÉDIO!

FRUTA NÃO É CARO, CARO É REMÉDIO!

EVITE VÁRIAS DOENÇAS BEBA 8 GARRAFINHAS DE 250ML POR DIA

EVITE VÁRIAS DOENÇAS BEBA 8 GARRAFINHAS DE 250ML POR DIA

SEJA UM DOADOR DE VIDA

SEJA UM DOADOR DE VIDA

NÃO PEQUES MAIS!

NÃO PEQUES MAIS!

VISTA AO NÚ

VISTA AO NÚ

VENDE TUDO E ME SEGUE...

VENDE TUDO E ME SEGUE...

A VEJA É MANIPULADA

A VEJA É MANIPULADA

O SÁBIO PENSA NO DIA DA MORTE ECLESIASTES 7:4

O SÁBIO PENSA NO DIA DA MORTE ECLESIASTES 7:4